Na arte da cartomancia*  também há outros três oráculos em forma de cartas que estão entre os mais usado no mundo inteiro: Tarô de Marselha, Tarô egípcio e Baralho Petit Lenormand. Descreverei aqui uma resenha de cunho pessoal sobre suas peculiaridades.

O Tarô de Marselha leva esse nome por sua origem na cidade de Marselha (marseille) na França, com ascenssão na Idade Média usado como "forma de distração" da corte francesa. Seu baralho contém 78 cartas, subdividido em 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores, sendo até hoje uma fonte muito abrangente para rever o passado, compreender o presente e prever o futuro.

O Tarô Egípcio tem por finalidade o autoconhecimento e a busca de soluções para as situações do dia a dia, pela leitura de suas 22 lâminas. Autenticamente, como seu nome designa, ele foi criado pelos egípcios, que o desenvolveu através de ideogramas contidos no Livro de Thot**  (que é o próprio tarô), em busca de sabedoria e harmonia entre o Homem e o Universo.

O Baralho Petit Lenormand se compõe de 36 cartas, e sua criação e leitura foi atribuida à francesa Marie Anne Adelaide Lenormand, que tinha como um de seus clientes Napoleão, no século XIX. Com o passar dos tempos ele foi adaptado,e acredito, que assim como naquela época, suas respostas são extremamente claras e eficientes.

Relatei um pouco destes oráculos, com suas histórias que foram estudadas uma a uma, afim de aproximar ao máximo suas verdadeiras origens e uma compreensão de modo simples e objetivo, e deixo aberto um espaço para opiniões que divergem ou apoiam tais resumos acerca da descoberta e autoria dos mesmos.

Por Ivi Izys


A origem da Cartomancia diverge opiniões, e ainda hoje a história de sua criação está aberta a especulações. Os indícios mais fortes estão na sua descoberta e criação pelos egípcios, derivada dos livros sagrados, cujas imagens eram pintadas em galerias subterrâneas.

Em outro ponto da história, diz-se que o povo cigano trouxe estes conhecimentos para a Europa, após sua criação na Índia ou China. O que realmente se sabe é que estes oráculos são fonte de muito mistério e de certo modo, é a maneira "mais confiável" de se obter respostas acerca do passado, presente e futuro em busca do autoconhecimento.

BARALHOSe TARÔS CIGANOS são compostos de 36 cartas e acreditasse terem sido desenvolvidos pelo povo cigano para confirmar suas adivinhaçõs e previsões. Para isso, foram criadas figuras representativas  idênticas em ambos os baralhos. A diferença entre eles se dá pela vibração das cartas, onde no baralho existem nipes e figuras, com o número de cada carta, e o tarô apenas figuras legítimas, onde não há meio termo. Um exemplo do tarô cigano está na lâmina do Caixão (8), que é fatidicamente um rompimento, doença ou morte. Já no baralho cigano, além dessas denominações, o Caixão (8) pode representar também um 'novo ciclo'.

A leitura no BARALHO COMUM, se dá através das 52 cartas e 2 coringas, que podem reprensentar entidades femininas ou masculinas, dependendo do vidente, totalizando 54 cartas, com seus nipes e números utilizados para a compreensão do consulente. Nesta mesma linha há dois baralhos de duas entidades específicas para as respectivas leituras: Zé Pilintra (para homens) e Maria Padilha (para mulheres). Nele se vê trabalhos (“macumba”), mudanças físicas e espirituais, situações amorosas, financeiras e familiares, revelando pessoas, traições e entidades.

Definitivamente estas três modalidades de oráculos possuem o maior número de adeptos, mas há outros três, distintos, que empatam na cartomancia: Tarô de Marselha, Tarô Egípcio e Baralho Petit Lenormand, que são descritos em nossa próxima viagem, rumo ao entendimento do desconhecido.

Por Ivi Izys





CONTINUE NAVEGANDO: