No sincretismo religioso católico Xangô é São Jerônimo. Este orixá tem uma personalidade forte, conhecido por ser justiceiro e dos incautos, protetor da fé e da harmonia, visto como Senhor da Lei Divina.

Tem por características, a generosidade e a imparcialidade, tanto de modo positivo como negativo. Seu lado negativo é inflexível pela dureza da rocha que habita, sendo assim sua morada a pedreira; Geralmente seus filhos (nascidos com a numerologia específica e assim sendo regidos por ele) são  teimosos e egocêntricos. Podemos avaliar a sua personalidade positivamente como fiel aos seus ideais, perseverante, justo; e seus filhos são críticos e juízes de si mesmos.

Existem várias vertentes de Xangô, mas suas peculiaridades não fogem à essência da base para todos seus filhos: por dominar as rochas, pedreiras, o machado e o trovão, são fortes e extremos em suas decisões; impiedosos com a traição e a injustiça. Sua missão é levar a ordem, a lei, a verdade nem que para isso use a força, e muitas vezes causam dor para promover sua justiça.

Os filhos de Xangô não se distanciam das peculiaridades de seu pai, devendo sempre se policiarem em seu lado negativo e disseminar seus pontos positivos, não apenas em 2013 que é seu ano, mas em todos os outros. Benevolência aos que plantam ordem, Justiça aos retos de espírito e Amor aos que se entregam a verdade, sabendo que esta os libertará.

Salve Xangô!

Por Ivi Izys


Seguindo o raciocínio dos ciclos, o ano de 2013 tem um Orixá regente, de energia predominante em todos os setores da vida, podendo afetar até mesmo o clima, pelo poder de sua força imparcial, onde não há lugar para meio-termo.

O ano (ciclo) de 2013 será de justiça, extremidades e afloramento de todos os tipos de sentimentos, sendo este ano regido pela numerologia 6 (2+0+1+3=6), planeta Saturno, sendo comandado pelo Orixá Xangô. Um conjunto levando ao topo as situações indefinidas, relacionamentos incertos, insegurança pessoal e todo tipo de sabotagem vindo à tona, por determinação desta regência, para serem resolvidos.

Xangô manterá a justiça, sem se esquecer de nossas atitudes e caráter, dando a vitória ao certo, justo e reto. O incorreto, perverso e de caráter maldoso, não terá campo de atuação neste ciclo, pois os elementos do Orixá serão decisivos. Xangô é juiz e sua justiça é baseada em cada um de nós. 

Fogo, machado e a rocha são os instrumentos do seu julgamento. O fogo irá incendiar as situações mornas em todos os setores, tornando-as cinzas ou brasa. A rocha solidificará o que realmente vale a pena (justos ao topo e injustos desmascarados pela verdade). O machado cortará pela raiz as incertezas que os ciclos anteriores deixaram, tornando este, um ano de julgamentos constantes de nós perante o mundo, do mundo perante nós e o principal: nos tornando juízes de nós mesmos, tendo a chance do nos reavaliarmos perante nossas consciências.

Por Ivi Izys





CONTINUE NAVEGANDO: