Significado Cores das Roupas



  

Saiba aqui qual o significado das principais cores das roupas.

Se as cores não existissem, o mundo certamente não teria alma. Uma das principais funções das cores é proporcionar senso de distinção entre as coisas. Seja nas copas verdes das árvores de uma floresta ou no cinza escuro e sombrio das rochas das encostas das montanhas, nos países nórdicos, as cores estão lá. Embora muitas pessoas acreditem que tudo não passe de superstição sem valor objetivo, o caso é que as cores mexem muito com os sentimentos e com o ambiente, fato.

Com frequência muita gente crê que a cor impressa na roupa que alguém veste, sobretudo em uma ocasião especial como o Réveillon, por exemplo, sempre tende a significar algo que se deseja durante o ano vindouro. Cada cor tem, objetivamente, uma função e transmite, também, uma intenção quando utilizada em peças de roupas.

De acordo com especialistas em ocasiões especiais, como a passagem de Ano Novo, é muito aconselhável que as pessoas interessadas utilizem roupas com cores tradicionais tais como o branco e o dourado. O branco é, indiscutivelmente, a cor da paz, sendo que pode ser combinado com tons em pérola, ou Nude e mesmo Off White. Essas combinações representam um tipo de poder, de autoconfiança, de equilíbrio entre outras potencialidades. Muitas forças que existem na natureza também se expressam em cores. O céu azul é resultado do reflexo de milhões prismas minúsculos que filtram todas as cores e expandem o azul, que torna a atmosfera uma das paisagens mais agradáveis e acolhedoras que existem, sendo associada ao paraíso celestial.

Com relação ao tom Nude, vale a pena lembrar a sua intensa afinidade com o dourado, que é uma das cores mais tradicionais, expressando os momentos de grandes mudanças. Conforme explicam astrólogos, a cor dourada, muito ligada ao Sol, tem uma função importante, pois este é o período em que o astro luminoso e fundamental para a Terra está se deslocando de Capricórnio, o qual é um elemento da terra, e começando a pairar sobre Áries, que representa o elemento fogo.

O ano de 2018 já começou sob a regência de Júpiter, já que o Sol move-se sobre o signo de Áries, logo, isso dá margem para renovação e mudanças significativas nas vidas das pessoas. Assim, em se tratando da passagem de um ano para outro, todo simbolismo tem uma presença forte, inclusive das cores.

Portanto, é muito importante que as pessoas trabalhem com as cores chamadas Chakras, em suas duas características que expressam o Centrium de energia e a Luz, as quais, de certa forma, seja consciente ou inconsciente, representam de alguma maneira os diversos tipos de emoções que todas as pessoas podem viver. A cor roxa e a lilás sempre são bem adequadas no sentido de representar tons de harmonia, de transmutação, de espiritualidade, de autoconhecimento ou mesmo de intensa conexão nossos propósitos. O azul, tal como já foi explicado sobre a cúpula celeste, tem um significado de transcendência, de ousadia e de coragem.

Para sumarizar as cores ideais de serem utilizadas no Réveillon, segue uma pequena relação:





A cor branca é a mais tradicional, significando paz em muitos sentidos, assim como as tonalidades a ela combinadas tais como a cor pérola, cor bege, o tom Nude e Off White. Essa cor é muito aconselhável para as pessoas que desejam manter sua tranquilidade durante o ano, durante sua vida, mantendo certos padrões de organização e de perseverança, como também certo glamour para o sexo feminino, entre outras possibilidades.

A cor dourada, também muito tradicional e combinada com tons de Nude, representa grandes mudanças.

A cor roxa ou a cor lilás estão intensamente ligadas à harmonia, à transmutação, à espiritualidade, ao autoconhecimento e intimidade com nossas metas na vida (perceba as cores que dominam as vestes papais).

A cor azul está intimamente ligada à potencialidade de ir além de si mesmo, de ousar por meio dos próprios ideais.

As cores, portanto, têm uma função precípua, sobretudo na alma das pessoas. Vale a pena estar sempre informado sobre esse tema.

Paulo Henrique dos Santos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *