A cafeomancia tem origem árabe, inspirada por técnicas chinesas de previsões (teimancia – leitura em folhas de chá). Os Sumérios praticavam suas leituras pelas cortes dos grandes czares e disseminaram essa técnica após a percepção aguçada sobre desenhos formados nas xícaras após tomarem seu café, que interpretadas, poderiam prever o futuro ou descobrir traições.

No século XVIII a Europa adotou o método, sendo a França o primeiro país a utilizá-la, e logo, tendo uma rápida disseminação mundo afora.

Para a leitura é necessário pó de café, açúcar, uma xícara e um pires branco. Todos os ingredientes são fervidos juntos, deixando descansar por alguns minutos. O café deve ser bebido lentamente, enquanto se mentaliza a pergunta. Logo o pires serve como uma tampa sobre a xícara, que deve ser virada rapidamente. Mais alguns minutos devem ser aguardados para o inicio da leitura, que precisa ser feita em sentido horário (da esquerda para direita), iniciando a interpretação pelas laterais da xícara e terminando pela a leitura do fundo.

A leitura da borra de café exige imaginação, sensibilidade e uma profunda criatividade para compreender os desenhos formados na xícara, que podem retratar tempo (anos, meses, dias e épocas), assim como situações variadas, como: mortes, negócios, traições e bons agouros.

Ainda hoje esta forma de oráculo é passada de geração em geração pelos turcos, onde as mulheres vêm na xícara 'suja' de seus filhos e maridos os acontecimentos futuros e atitudes do presente fora de suas casas; e em alguns países da África, como um acertativo método de negociação.

O povo cigano considera que é uma forma de indicar caminhos e revelar segredos, e utiliza de maneira natural, para diversas situações que incluem decisões importantes para o clã.

Não podemos nunca nos esquecer que a miscigenação de culturas ao passar dos séculos só agregou mais importância e valores a este método de leitura, que é tido, ainda nos dias de hoje para muitos povos, como um meio seguro de escolhas.

Não é apenas  uma previsão, e sim uma brecha entre o nosso mundo e o mundo oculto, e esta, como todas as crenças, deve ser respeitada.

Por Ivi


Parece estranho falar que é possível fazer previsões do futuro através dos alimentos, mas diversas culturas possuem formas diferentes de prever o futuro pelos alimentos.

Uma técnica de previsão muito comum é a leitura do futuro através da borra do café, que surgiu da cultura árabe.

A Aleuromancia é um método de previsào muito antigo, que deu origem aos chamados “biscoitinhos da sorte“. As pessoas escreviam  papéis com respostas e questionamentos e colocavam dentro de massas feitas com farinha e assavam. A pesoa escolhia um biscoito e lia a sua sorte.

Até hoje existe uma superstição com relação ao sal. Derrubar sal o chão dá azar e atrai brigas, e jogar sal no ombro esquerdo afasta o azar. Antigamente acreditavam que o sal possuía propriedades mágicas e criaram uma técnica de adivinhação chamada Alomancia, que consiste em jogar um punhado numa superfície e interpretar a sua forma. 

Na China, uma ténica de advinhação com alimentos que os antigos usavam muito era através de uma tigela de sopa com talharim, onde o futuro era visto através da forma com que o talharim ficava quando era levado à boca.


A Cafeomancia é uma técnica, de origem árabe, utilizada para prever o futuro através da borra do café que aparece no fundo da xícara. 

Uma das mais ricas tradições dos países árabes, principalmente no Irã,  Turquia e no Sul da Rússia, começou a ser difundida pela Europa no século XVII e depois a novidade se espalhou ao redor mundo.

Atualmente a cafeomancia é muito praticada na Turquia e no Norte da África, que repassam esta prática aos deus descendentes por várias gerações

A sua leitura não é difícil, só precisa de muita concentração e sensibilidade para decifrar os desenhos que surgem.

Para fazer a leitura do café é preciso estar num ambiente tranquilo e silencioso.

Clique aqui e veja o seu futuro na xícara do café.





CONTINUE NAVEGANDO: